sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Análise sobre o mercado do turismo naturista no Brasil e as experiências do Centro Naturista Colina do Sol

Rossi, Celso Luís. 2015. Análise sobre o mercado do turismo naturista no Brasil e as experiências do Centro Naturista Colina do Sol. Taquara, RS, FACCAT. Faculdades Integradas de Taquara.

Resumo: 

O segmento de mercado ocupado pelo Turismo Naturista já possui uma participação efetiva nos mercados turísticos internacionais, especialmente na Europa. No Brasil, implantado há mais de 25 anos, encontra no Centro Naturista Colina do Sol seu principal empreendimento fora da orla litorânea. O objetivo deste estudo, que se utilizou de pesquisa na bibliografia e nos meios disponíveis na internet, foi de analisar o sistema de mercado criado para o desenvolvimento das potencialidades internas de geração de renda da Colina do Sol, relacionando, no quanto é possível, com os fundamentos das teorias econômicas.

Palavras-chave: Turismo Naturista; Monopólio; Oligopólio; Cluster; Colina do Sol.

Respeite dos direitos autorais

Leia em:
http://www.youblisher.com/p/1215999-Analise-sobre-o-mercado-do-turismo-naturista-no-Brasil-e-as-experiencias-do-Centro-Naturista-Colina-do-Sol/

terça-feira, 23 de setembro de 2014

O naturismo e os paradoxos da identidade na sociedade contemporânea

OLIVEIRA, Eduardo Carrascosa de. O naturismo e os paradoxos da identidade na sociedade contemporânea. 2012, 185f.  Tese (Doutorado em Ciências Sociais) Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2012.

A pesquisa desenvolvida nesta tese de doutoramento tem como eixo central o estudo do naturismo, atividade em que a nudez do corpo é exposta em espaços públicos. Nesta, são discutidos os aspectos centrais que sustentam a perspectiva do processo de construção de identidades relativa ao fenômeno. O naturismo pode ser interpretado como derivado de uma sociedade que, por um lado, cultua o corpo e o poder da sua imagem e, por outro, atribui ao lazer uma função decisiva na promoção de uma ação social ligada a preceitos morais. Como o corpo humano serve de símbolo de pertencimento, investigam-se as dimensões intrínsecas das relações entre os praticantes, tendo sempre em vista a contraposição à ênfase que os grupos naturistas colocam na "pureza" e o "igualitarismo" dos corpos nus. Utilizando a Associação Naturista de Abricó (ANA) do município do Rio de Janeiro (RJ) como objeto de pesquisa, baseia sua investigação na problematização do paradoxo que se inscreve no "respeito" obtido e exigido através da nudez comunal. 

segunda-feira, 26 de maio de 2014

A IMAGEM NUA - A desconstrução de estereótipos sobre a nudez pela fotografia naturista.

 RESUMO

 SILVA, José Roberto Martins da.  A IMAGEM NUA -  A desconstrução de estereótipos sobre a nudez pela fotografia naturista. 2009, 90f. Relatório de termino de Disciplina (Relatório de Conclusão da Disciplina Prática de Ensino das Artes Plásticas) - Departamento de Artes Visuais da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2009.

Atualmente, observa-se o crescimento e a invasão do nosso cotidiano por um grande número de imagens, com destaque para a fotografia que, tem sido largamente utilizada nas mídias de massa, a exemplo da Internet. Os objetivos desse estudo são: pesquisar, refletir, e discutir a imagem naturista na fotografia. Fazendo uma investigação histórica e imagética sobre o tema, abordando questões correlacionadas, tais como: a nudez na história da arte, o naturismo e a fotografia no contexto naturista. Propõem-se assim, questionar o porquê de a nudez ainda, na contemporaneidade, ser um tema que provoca tantas inquietações em nossa sociedade e entender seus conceitos e causas. E como essas visualidades interferem em nosso cotidiano, colaborando para a desconstrução de estereótipos sobre a nudez, arraigados já algum tempo, em nossa cultura.

Palavras-chave: Educação Artística, Arte, Fotografia, Naturismo.
Respeite dos direitos autorais

Leia em:





quarta-feira, 19 de março de 2014

Retratos proibidos : o corpo nu na fotografia

  

LULA,  Isabela Chaves. Retratos proibidos : o corpo nu na fotografia. 2000, 141f. Dissertação (Mestrado em Multimeios) Instituto de Artes), Universidade Estadual de Campinas, 2000


Resumo: O objetivo principal do presente texto era a reflexão sobre imagens fotográficas de nus realizadas por esta autora entre os anos de 1990 e 1995. Para tanto, reuniu-se, primeiramente, o material empírico necessário: as imagens fotográficas referidas e doze entrevistas abertas com pessoas entre as que posaram nuas para tais fotografias em situações diversas. Em seguida, construiu-se uma pequena narrativa sobre os momentos de realização de alguns desses ensaios fotográficos, visando a compreensão da natureza de cada um (para isso, procurou-se caracterizar as personagens) e da natureza dos códigos usados pelas pessoas para demonstrarem seu desejo de se verem nuas. A necessidade de se compreender as imagens partindo de sua gênese, ocorreu porque estas imagens não integravam nenhum projeto artístico ou discurso pré-elaborado ou consciente, e tanto as composições como a técnica e os modelos eram muito diversos entre si. Desta maneira, os modelos, seus corpos e expressões ganharam importância neste trabalho e questões relativas ao nu artísitico (desde o modo como o nu era concebido pelos gregos à revolução da body art) e ao uso do corpo na fotografia foram abordadas. Embora a análise das imagens fotográficas tivesse grande importância, outros objetivos surgiram e engendraram reflexões também sobre a autonomia deste tipo de imagem, em detrimento de seu autor como sobre as relações estabelecidas entre modelo, fotógrafo e espectador, devido a uma característica específica destas imagens: a de serem retratos nos quais os modelos tiveram participação ativa, sem intenção de exporem publicamente suas imagens. 



Segmento de Mercado: Uma análise sobre o Turismo Naturista no Brasil

FRACASSO, Carolina. Segmento de Mercado: Uma análise sobre o Turismo Naturista no Brasil. 2003. 40f. TTC (Bacharel em Turismo) – Departamento de Turismo, Faculdade de Ciências Exatas, Administrativas e Sociais de Brasília, Brasília, 2003.
INTRODUÇÃO
Vive-se atualmente um novo momento da história do turismo, em que o desenvolvimento dos meios de transporte e da infraestrutura, o maior tempo livre e as melhores condições econômicas das pessoas aliados às necessidades de descanso e fuga dos grandes centros, alteraram o setor turístico, trazendo como resultado um maior número de pessoas que procuram por segmentos turísticos diferenciados em suas viagens a lazer.
O nudismo é um movimento que ignora barreiras culturais, fazendo com que, ao se despirem, as pessoas se livrem das amarras sociais e entrem em harmonia com a natureza. Mas, então, quais os fatores que interferem diretamente na escassez da demanda do Turismo Naturista no Brasil? Será preconceito? Falta de informação? Ou ainda falta de incentivos por parte do governo Federal?
Não obstante, o Naturismo consolida-se como uma alternativa viável e promissora para o turismo, sendo necessária, então, a realização de estudos e pesquisas para o levantamento de informações que permitam um melhor aproveitamento desse segmento de mercado.
Dados revelam que na atual conjuntura do Brasil, o Turismo Naturista está em plena expansão, conquistando cada vez mais adeptos em todo o país. Isso mostra que as pessoas não se sentem tão oprimidas e envergonhadas quando se está em questão o próprio corpo, mesmo havendo certa dificuldade social em praticar e vivenciar determinadas formas de expressões culturais.
Para tanto, o objetivo desse estudo é buscar compreender que o nascente mercado turístico voltado ao público naturista está se tornando uma fonte rentável, em âmbito nacional, para o setor.

Leia em:
http://www.youblisher.com/p/843157-Segmentacao-de-Mercado-Uma-analise-sobre-o-Turismo-Naturista-no-Brasil/

sábado, 7 de dezembro de 2013

Vivendo “nu” paraíso: comunidade, corpo e amizade na Colina do Sol



ROJO MATTOS, Luiz Fernando. Vivendo “nu” paraíso: comunidade, corpo e amizade na Colina do Sol. 2005. 235f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

Resumo

O naturismo, depois de algumas iniciativas isoladas, se organiza no Brasil a partir do final da década de oitenta. Cerca de dez anos depois, é criada, no Rio Grande do Sul, a Colina do Sol, primeira comunidade naturista da América Latina. A formação desta comunidade se constitui em um marco para o naturismo brasileiro, consolidando o principal valor que este movimento propugna: a recuperação da “essência” humana, que foi perdida a partir do advento da modernidade. Nesta tese, procuro discutir os três aspectos centrais que sustentam esta perspectiva, profundamente ancorada na recuperação dos valores do romantismo do século XIX, cada um deles contrapondo-se a características identificadas nas sociedades modernas. A revalorização da dimensão comunitária, em oposição ao anonimato das metrópoles; a “pureza” e o “igualitarismo” dos corpos nus, como negação do hedonismo e do culto do corpo e a ênfase na amizade “pura e desinteressada”, em contraste com o individualismo das relações "frias e calculistas” dos “jogos sociais”. Em cada um deles, procurei evitar tomar a Colina do Sol como um todo homogêneo, procurando identificar como estes aspectos também podem ser vistos como discursos internos às relações de poder que se estabelecem no interior desta comunidade.

Palavras-chave: Naturismo. Corpo. Comunidade. Relações de amizade

Respeite os direitos autorais

Leia em:
http://www.youblisher.com/p/768024-Vivendo-nu-paraiso/

Naturismo em praias: historiografia do movimento naturista no Brasil a partir da etnografia da associação naturista da Praia do Abricó, no Rio de Janeiro (RJ)

THIBES, Carolina Weiler .  Naturismo em praias: historiografia do movimento naturista no Brasil a partir da etnografia da associação naturista da Praia do Abricó, no Rio de Janeiro (RJ). 2012.  Dissertação (Mestrado em Ciências Jurídicas  e Sociais. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito).  Faculdade de Direito. Universidade Federal Fluminense, Niterói.

RESUMO

O movimento naturista, caracterizado pela prática da nudez social, tem ganhado força no Brasil, deixando de ser uma ação espontânea de grupos isolados para constituir uma Federação Nacional, vinculada à Federação Internacional do Naturismo. O presente trabalho pretende fazer uma análise cronológica e histórica do movimento naturista brasileiro em praias, identificando quem é o público adepto desta prática, o que pensa e como se organizam seus principais atores. Trata-se de uma pesquisa, sobretudo, etnográfica, cujo principal instrumento foi a observação participante. Através de viagens para participar de encontros naturistas nacionais e de visitas alternadas, entre os anos de 2009 e 2012, à praia do Abricó, única praia oficialmente naturista da cidade do Rio de Janeiro, buscamos traçar as linhas e entrelinhas do movimento naturista carioca para, em seguida, narrar a prática naturista no Brasil. Desse modo, o texto se subdivide em 6 capítulos. No primeiro capítulo, abordamos possíveis argumentos jurídicos para a ocupação territorial das praias pelo público adepto da nudez social. Em seguida, apresentamos a praia do Abricó e a forma como esta se tornou oficialmente naturista. No capítulo dois, através da transcrição de relatos e opiniões de naturistas de todo o Brasil buscamos mostrar a compreensão do naturismo do ponto de vista de seus praticantes. No capítulo três, narramos as trajetórias da musa do naturismo brasileiro, Luz Del Fuego, e do gaúcho Celso Rossi, que a partir de 1984 se engajaria na causa esforçando-se por tornar o naturismo legalizado em algumas praias do Brasil. Registrada esta fase, prosseguimos relatando a criação da Naturis, primeira revista naturista brasileira, que precedeu as mídias Brasil Naturista e Jornal Olho Nu. O quarto capítulo espraia-se pela politização do movimento, que, através de congressos nacionais, busca sua estruturação e coerência interna. O capítulo cinco apresenta algumas associações e clubes naturistas dedicados à prática privada do naturismo e analisa as atas dos congressos e encontros realizados pelo movimento naturista brasileiro desde a fundação da FBrN em 1988. Chegamos aos dias atuais experimentando em campo a nudez social. Estivemos pessoalmente em três Encontros naturistas nacionais, que são descritos no sexto e último capítulo. Na conclusão, tecemos algumas considerações críticas à ausência de perspectiva macro política do movimento, ao tempo em que destacamos, via exame da atuação específica do presidente da Associação Naturista do Abricó, algumas peculiaridades do caso concreto.
Palavras-chave: Naturismo; Nudez; Território: Praias; Movimentos sociais.

Respeite os direitos autoriais.

Ler em:
http://www.youblisher.com/p/532892-NATURISMO-EM-PRAIAS-HISTORIOGRAFIA-DO-MOVIMENTO-NATURISTA-NO-BRASIL-A-PARTIR-DA-ETNOGRAFIA-DA-ASSOCIACAO-NATURISTA-DA-PRAIA-DO-ABRICO-NO-RIO-DE-JANEIRO-RJ/